Educação financeira

CDB ou Fundo DI: qual a melhor opção de investimento?

Conheça as principais características e veja como e quanto investir em CDB ou Fundo DI e começe hoje mesmo.

Anúncios

por Fernanda Weber

Publicado em 05/04/2021

CDB ou Fundo DI

Descubra como investir em CDB ou Fundo DI. Foto: Pexels / Anna Nekrashevich
Descubra como investir em CDB ou Fundo DI. Foto: Pexels / Anna Nekrashevich

Investir em CDB ou Fundo DI é uma ótima maneira de começar ou mesmo de diversificar sua carteira. Mas, apesar de serem ativos de renda fixa, esses dois são bem diferentes entre si. Por isso, veja as principais características de cada um e como investir neles.

Em suma, o CDB se trata de um título de renda fixa emitido por bancos privados. Eles têm baixa liquidez, mas rendem muitos juros no longo prazo.

Enquanto que os Fundos DI são administrados por um gestor e o rendimento sempre acompanha a Taxa DI. Esses fundos são compostos por vários ativos, sendo que 95% deve ser de títulos do Tesouro Direto.

Se você ficou interessado nesses ativos e quer saber como investir neles, fique com a gente. Também vamos te mostrar como pode escolher o melhor ativo para a sua carteira e como investir. Vamos lá!

Anúncios

CDB ou Fundo DI: qual a melhor opção de investimento?

Veja como escolher entre diferentes opções de ativos. Foto: Pixabay / Tumisu
Veja como escolher entre diferentes opções de ativos. Foto: Pixabay / Tumisu

Com o aumento da Taxa Selic em março de 2021, os olhares dos investidores se voltaram novamente para a renda fixa. 

Durante 2020, com a Selic mais baixa da história, os ativos de renda fixa renderam muito pouco e vários deles perderam para a inflação.

Mas, o aumento da taxa deu novo fôlego ao investimento preferido dos brasileiros que estão começando agora.

Dessa forma, saber escolher os melhores ativos se tornou mais importante do que nunca. Por isso, vamos te mostrar hoje qual ativo você deve escolher: CDB ou Fundo DI.

Antes de fazer a sua escolha, sempre leve em consideração algumas coisas como, por exemplo:

  • Qual é o valor que tem disponível para começar a investir, e aqui, tudo bem se não tiver nada para começar.
  • Quanto pode investir a cada mês, afinal, a regularidade é fundamental.
  • Qual é o prazo que pretende deixar seu dinheiro alocado em um título.
  • Quanto espera ter de lucro no vencimento do seu papel, ou seja, quando os juros forem pagos.
  • Qual é o risco que está disposto a correr?

Além disso, aqui no site já falamos de outros tipos de ativos para você considerar. Nesse sentido, vale a pena conferir o texto que deixei aqui embaixo em que explico como investir em LCI ou Tesouro Direto.

LCI ou Tesouro Direto: qual escolher?

Vamos te explicar o que é LCI e Tesouro Direto, mostrar como escolher e investir em cada um desses ativos, sempre considerando seu perfil e o que espera ganhar de juros.

Qual é a melhor aplicação: CDB ou Fundo DI?

Sempre existe uma aplicação que será melhor para você. Foto: Pixabay / Firmbee
Sempre existe uma aplicação que será melhor para você. Foto: Pixabay / Firmbee

Para escolher um CDB ou Fundo DI para investir, você precisa analisar uma série de aspectos de cada um desses ativos.

Em resumo, leve em consideração:

  • Rentabilidade do investimento
  • Prazo de vencimento do papel
  • Liquidez
  • Taxas e impostos que incidem sobre seu lucro

Por isso, para fazer a escolha mais acertada, compare as informações que a corretora ou banco fornece de cada tipo de investimento com o seu perfil e objetivos.

Por exemplo, se você espera ganhar 8% ao ano de rentabilidade e pode deixar o dinheiro investido por pelo menos 2 anos, um CDB prefixado é uma boa escolha.

Agora, se não pode deixar o dinheiro investido por esse período e precisará dele antes, então considere um Fundo DI para fazer seu dinheiro render por algum tempo.

Para que você entenda melhor como chegamos a essas escolhas, veja as características de cada aplicação.

Quanto preciso para começar a investir?

Descubra quanto dinheiro é necessário para começar a investir tanto em renda fixa quanto em renda variável. Você sabia que pode comprar ativos do Tesouro Direto por R$35?

Anúncios

Características do CDB

Conheça o Certificado de Depósito Bancário. Foto: Pixabay / Mohamed Hassan
Conheça o Certificado de Depósito Bancário. Foto: Pixabay / Mohamed Hassan

O CDB ou Certificado de Depósito Bancário, é um título de renda fixa emitido por bancos privados.

Ao adquirir um ativo do tipo CDB, você estará emprestando dinheiro às instituições financeiras por um determinado período.

Em contrapartida, a instituição se compromete a pagar uma taxa de juros sobre o valor que você investiu.

Essa taxa de juros pode ser de três tipos diferentes:

  1. Prefixada: em que, no momento da compra do ativo, você já sabe a taxa de juros que receberá ao ano.
  2. Pós-fixada: com a rentabilidade atrelada a algum indicador como o CDI, por exemplo.
  3. Híbrida: na qual há uma taxa de juros já conhecida mais outra atrelada a um indicador que, geralmente, é o IPCA.

Ao investir em CDBs, você estará seguro pelo FGC e, caso aconteça alguma coisa com o banco emissor do título, você recebe de volta até R$250 mil do seu dinheiro investido.

Além disso, você deverá pagar Imposto de Renda sobre a rentabilidade de qualquer Certificado de Depósito Bancário. 

Esse valor é pago no momento em que o papel vencer e a alíquota segue a tabela regressiva que vai de 22,5% (para investimentos de até 6 meses) até 15% (para mais de dois anos).

Ademais, para começar a investir em CDBs você precisa de pelo menos R$1000. Isso porque este é o valor mínimo que os bancos oferecem.

Prazo

Você deve respeitar o prazo de seu investimento. Foto: Pixabay / Geralt
Você deve respeitar o prazo de seu investimento. Foto: Pixabay / Geralt

Em relação ao prazo de vencimento dos ativos de CDB, eles variam entre 1 mês e até 5 anos.

Dessa forma, quanto maior for o prazo, maior também será a rentabilidade do certificado.

Mas, tenha atenção na hora de adquirir este investimento. Isso porque, se você optar por um CDB com um ano de duração, vai pagar uma alíquota de IR de 20%.

Agora, se optar por algum CDB mais longo, com prazo de dois anos ou mais, a alíquota será de 15% sobre a rentabilidade.

Por isso, quanto mais tempo você deixar o dinheiro aplicado, maior é seu lucro.

Liquidez

CDBs são ativos com baixa liquidez. Foto: Pixabay / The digital Way
CDBs são ativos com baixa liquidez. Foto: Pixabay / The digital Way

Os CDBs são considerados investimentos de baixa liquidez. Isso porque, na maioria dos ativos, você só recebe os juros e consegue retirar seu dinheiro no vencimento do papel.

Mesmo que existam alguns ativos com liquidez diária, que são classificados como de alta liquidez, pois o dinheiro volta para a sua conta em um dia, caso solicite, estes são a minoria.

Essa é uma das maiores diferenças entre CDB e Fundo DI.

Características do Fundo DI

Saiba o que são os Fundos DI. Foto: Pexels / Lukas
Saiba o que são os Fundos DI. Foto: Pexels / Lukas

Como o próprio nome já diz, o Fundo DI é um fundo de ativos administrado por um gestor. Mas, o que seria um fundo?

Em síntese é um tipo de ativo em que você compra uma cota e, dentro dessa cota, há vários títulos de renda fixa, com rentabilidades e prazos distintos.

Dessa forma, ao invés de comprar 3 títulos do Tesouro Direto, por exemplo, você pode adquirir uma cota de um Fundo DI e assim ter acesso a vários ativos ao mesmo tempo.

Para administrar tudo isso, existe um gestor que define quais ativos serão comprados pelo fundo.

Esse gestor compra ativos respeitando duas regras: 

  • Ter 95% de seus ativos alocados em títulos públicos.
  • Escolher investimentos com rentabilidade associados à Taxa DI (também conhecida como CDI).

Além disso, você deve pagar uma taxa administrativa ao fundo e isso diminui a sua rentabilidade.

Em contrapartida, o valor inicial para investir é de R$100. Ou seja, o custo inicial de um Fundo DI é bem menor do que um CDB.

Outra característica dos Fundos DI é que o patrimônio do fundo pertence aos cotistas e não ao criador do fundo.

Desse modo, apesar de não ser protegido pelo FGC, os Fundos DI são super seguros. Afinal, o dinheiro do próprio fundo serve para proteger os cotistas.

Cabe, ainda, falar do Imposto de Renda dos fundos. Ele funciona no sistema “Come-cotas” em que a cada 6 meses, parte da rentabilidade é retida pelo IR.

Com isso, você sempre perde um pouco de lucro, afinal, os juros desses ativos é composto e, se a cada 6 meses, parte é retirada, esse lucro renderá menos do que em ativos que cobram o IR só no final.

Prazo 

Os prazos dos Fundos DI são menores do que os de CDBs. Foto: Pixabay / Geralt
Os prazos dos Fundos DI são menores do que os de CDBs. Foto: Pixabay / Geralt

Você pode comprar cotas de Fundos DI com menos de um ano ou até mais longos.

Por conta da taxa de come-cotas do IR, nossa sugestão é sempre adquirir cotas de fundos com pelo menos dois anos de prazo. 

Dessa forma, a alíquota do IR será de 15%. Em fundos com prazos menores, o valor da alíquota será maior.

Liquidez

Um Fundo DI sempre tem alta liquidez. Foto: Pexels / Snapwire
Um Fundo DI sempre tem alta liquidez. Foto: Pexels / Snapwire

O Fundo DI é um ativo de alta liquidez, ao contrário do CDB. Isso significa que sempre que você precisa do seu dinheiro de volta, pode conseguí-lo em até um dia útil.

Como a imensa maioria das cotas dos fundos está em títulos do Tesouro Direto, você não precisa esperar nenhum período de carência para retirar o dinheiro desta aplicação.

No entanto, evite fazer isso até 30 dias depois de adquirir uma cota. Isso porque nos primeiros 30 dias da aplicação você pagará uma taxa de IOF (bem grande), caso retire o dinheiro.

Como investir em CDB e Fundo DI

Veja como comçar a investir em CDB ou Fundo DI. Foto: Pixabay / Robin Higgins
Veja como comçar a investir em CDB ou Fundo DI. Foto: Pixabay / Robin Higgins

Para investir em qualquer ativo de CDB ou Fundo DI, você sempre precisa de uma conta numa corretora de valores. Existem várias corretoras no mercado, algumas cobram taxas e outras não, então fique ligado a esse detalhe.

Ao abrir a conta, você faz um teste e descobre qual é o seu perfil de investidor. Esse teste é importante para que você conheça os ativos mais adequados para as suas expectativas, conhecimentos e percepção de risco (quanto você tolera ganhar ou perder, por exemplo).

Depois que fizer isso, procure na plataforma da corretora pelos CDBs e Fundos DI, que ficam junto a ativos de renda fixa.

Escolha aquele que mais te agradar e tenha uma boa rentabilidade. Em seguida, confira as informações importantes e valor da cota.

Na próxima etapa, transfira uma quantia em dinheiro para a conta da corretora e adquira seu fundo. Pronto!

Quando investir em CDB?

Invista em CDB para ter mais rentabilidade. Foto: Pixabay / Geralt
Invista em CDB para ter mais rentabilidade. Foto: Pixabay / Geralt

Por conta da baixa liquidez, nossa sugestão é usar o CDB como uma alternativa para a diversificação da carteira. 

Ainda mais porque eles tem boa rentabilidade, entre as maiores da renda fixa, e são super seguros. Ou seja, você ganha um bom lucro e tem segurança de receber todo seu dinheiro no vencimento do ativo.

Quando investir em Fundo DI?

Invista em Fundo DI para ter alta liquidez. Foto: Pixabay / Startup Stock Photos
Invista em Fundo DI para ter alta liquidez. Foto: Pixabay / Startup Stock Photos

Por conta das taxas de administração e do IR come-cotas, a rentabilidade do Fundo DI é menor do que do CDB.

No entanto, como ele tem liquidez diária e sua rentabilidade acompanha o CDI, nossa sugestão é investir nesse ativo para montar a sua reserva de emergência.

Além disso, como o investimento inicial é pequeno, você pode ir montando a reserva aos poucos.

CDB ou Fundo DI: vantagens e desvantagens

Antes de investir saiba as vantaens e desvantagens de cada ativo. Foto: Pexels / Karolina Grabowska
Antes de investir saiba as vantaens e desvantagens de cada ativo. Foto: Pexels / Karolina Grabowska

Seja CDB ou Fundo DI, há vantagens e desvantagens.

Os CDBs têm a vantagem de renderem mais e terem a alíquota do IR descontadas apenas no vencimento. Além disso, você tem a liberdade de escolher os ativos que vai adquirir.

Em contrapartida, a liquidez desses ativos é baixa e, se acontecer alguma coisa e você precisar do dinheiro antes do vencimento, terá um pouco de dor de cabeça.

Por sua vez, os Fundos DI têm como principais vantagens a liquidez diária e o baixo custo inicial.

No entanto, como desvantagens, podemos destacar o rendimento baixo (próximo ao da poupança), as taxas de administração do fundo, o sistema de come-cotas e ainda o fato de você não poder escolher os ativos, pois isso é feito pelo gestor.

CDB ou Fundo DI: qual é o melhor investimento?

Escolha o melhor ativo de acordo com as suas metas. Foto: Pixabay
Escolha o melhor ativo de acordo com as suas metas. Foto: Pixabay

A resposta para isso é: depende!

O CDB ou o Fundo DI são investimentos muito seguros, em que há boas garantias tanto de retorno financeiro quanto de que seu dinheiro estará protegido.

Todavia, antes de comprar qualquer ativo, sempre avalie: 

  • o tempo que pode deixar seu dinheiro alocado
  • quanto pretende ganhar
  • quanto tem de dinheiro para começar
  • qual é o seu objetivo com esse investimento

A partir dessas considerações será mais fácil escolher o ativo ideal.

Agora, de modo particular, não considero os Fundos DI uma opção atrativa de investimento. Acredito que eles são uma boa opção para quem está começando e ainda não tem segurança para fazer as próprias escolhas.

No entanto, recomendo que você estude um pouco sobre os títulos do Tesouro Direto e compre esses ativos diretamente, sem o intermédio do fundo. Isso vai aumentar a rentabilidade do investimento.

Em relação aos CDBs, o principal entrave, para mim, é o valor inicial, de pelo menos R$1000. Essa quantia pode ser bem grande para a maioria das pessoas.

Mas, como ativo para diversificar a carteira de renda fixa, ele funciona muito bem e rende bons juros.

E, se você quiser saber mais sobre renda fixa e também renda variável, confira minha sugestão abaixo:

Qual a diferença entre renda fixa e renda variável

Confira as principais características e ativos de renda fixa e de renda variável. Além disso, aprenda a comparar as duas para escolher a mais adequada para o seu perfil.

Sobre o autor

Fernanda Weber

Produtora de conteúdos digitais e redatora web com formação na área de Letras. Atua com produção de conteúdos sobre educação financeira e deseja levar seus conhecimentos práticos para mais pessoas e assim ajudá-las a lidar melhor com seu dinheiro.

Revisado por

Tathiane Mantovani

Editor(a) sênior

Em Alta

content

Como solicitar a maquininha Moderninha Pro

Descubra como ter a sua Moderninha Pro, uma maquininha de cartão que aceita as melhores bandeiras e pagamentos por QR Code.

Continue lendo
content

Conheça todos os cartões Nubank 2021

Você sabe quais são as opções de cartões Nubank e como escolher o seu? Te contamos tudo aqui neste post. Clique para conferir!

Continue lendo
content

Nubank Auxílio Emergencial: tire suas dúvidas agora!

Tire todas as suas dúvidas sobre o Nubank Auxílio Emergencial. Saiba se você tem direito ao benefício e como utilizá-lo em sua NuConta agora.

Continue lendo

Você também pode gostar

content

Consultar saldo: NFP, FGTS e PIS 2021

Para consultar saldo do FGTS, PIS e NFP é muito fácil! Confira aqui o passo a passo para acessar as informações por site ou aplicativo!

Continue lendo
content

Review cartão Mooba Visa 2021

Confira o review cartão Mooba Visa para descobrir as suas principais características, como cobertura, anuidade, vantagens e muito mais!

Continue lendo
content

O que é o cartão American Express Green?

O cartão American Express Green oferece muitos benefícios, como o Programa Membership Rewards. Quer saber mais? Leia este post e confira!

Continue lendo