Investimentos

Tudo o que você precisa saber sobre investidor qualificado

Ser um investidor qualificado parece até um elogio para quem tem bons lucros ao investir. No entanto, não é bem isso que significa. Afinal, um investidor deste tipo precisa ter ao menos R$1 milhão em aplicações ou, então, uma certificação própria. Veja em seguida como isso funciona!

Anúncios

Descubra se você tem o perfil para se tornar este investidor

Veja o que é e as vantagens de ser um investidor qualificado. Fonte: Pexels.
Veja o que é e as vantagens de ser um investidor qualificado. Fonte: Pexels.

A princípio, o investidor qualificado poderia ser um tipo de investidor que consegue fazer bons investimentos. 

Mas, na verdade, o termo “qualificado” tem haver com uma qualificação. Ou seja, com um atestado que diz que este investidor entende muito do mercado e pode, inclusive, fazer recomendações para outras pessoas de forma profissional.

Assim sendo, esse tipo de investidor é alguém que atende a regras e que tem, à sua disposição, diferentes tipos de aplicações para além daquelas mais comuns.

Então, que tal saber mais sobre esse tipo de investidor e saber se você se encaixa no perfil?

Para isso, fique conosco e descubra o que é preciso para se tornar um investidor qualificado. 

O que é investidor qualificado?

O investidor qualificado é um tipo de investidor que possui ao menos R$1 milhão em ativos ou, então, que obtém certificação para tal. Esse título se destina a pessoas físicas e jurídicas, desde que cumpra os pré-requisitos mínimos.

Assim sendo, pode ser tanto quem tem esse valor investido em ações, fundos, títulos públicos e privados quanto quem tem aprovação junto a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Desse modo, longe de ser um elogio, o termo “qualificado” indica que o dono deste título possui conhecimento do mercado de investimentos.

Para conseguir esse título, quem possui R$1 milhão aplicado precisa fazer uma declaração da sua condição junto à CVM. Essa declaração pode ser obtida na corretora de valores.

Ou seja, não basta apenas ter o valor investido, é preciso que a CVM reconheça isso!

No entanto, existem investidores qualificados que não possuem R$1 milhão investido. Nesse caso, os donos do título possuem um atestado emitido pela própria CVM.

Ficou confuso quais são as regras para se tornar um investidor deste tipo? Então, confira quais as regras para ter o selo logo abaixo.

Regras para ser um investidor qualificado

Para que seja um investidor qualificado, existem algumas regras. Nesse caso, basta atender a uma delas para receber o atestado.

Confira as regras que a CVM indica em sua Instrução CVM Nº539, de 2013:

Atenção. A Maria quer falar com você.

banner image

Estamos enviando diversas opções de cartões e empréstimos pré-aprovados no WhatsApp.

Você será redirecionado a outro site

Ter R$1 milhão investidos

Essa é a primeira regra para que possa ser um investidor qualificado. Ou seja, para ter o atestado, o investidor precisa ter sob sua administração R$1 milhão em aplicações diversas.

Para poder se declarar como um investidor apto de qualificação, é necessário provar para a CVM que você tem este montante. Nesse sentido, o investidor precisa de uma declaração própria para isso.

Trabalhar com certos tipos de investimentos

Algumas profissões podem fazer com que você seja um investidor qualificado, desde que tenha certificação também.

Por exemplo, ao trabalhar como profissional de investimentos ou analista de valores imobiliários.

Além disso, para Clubes de Investimentos, a regra é que um dos sócios possua a qualificação. Desse modo, o clube pode falar em nome deste atestado e se colocar como investidor qualificado.

Ter certificação da CVM

Por fim, a última regra para obter título de investidor qualificado é por meio de provas realizadas pela CVM em parceria com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA).

Nesse caso, existem várias certificações, sendo que cada uma se destina a uma função. Além disso, cada uma tem seu próprio processo seletivo, mas, em geral, há uma prova com questões sobre o tema.

Assim sendo, quando passar na prova, pode atuar dentro da área designada como um investidor qualificado. E, vale lembrar que não precisa atingir o mínimo de R$1 milhão investidos para poder fazer as provas e ter o certificado.

Então, confira abaixo alguns certificados que a CVM reconhece.

  • Gestor de recursos de terceiros (CGA);
  • Assessor de investimentos (CGA);
  • Planejadores financeiros (CFP);
  • Analista de investimentos (CNPI).

Quais as vantagens de ser um investidor qualificado?

Quem tem o atestado de qualificação tem mais ativos para investir. Fonte: Unsplash.
Quem tem o atestado de qualificação tem mais ativos para investir. Fonte: Unsplash.

Então, ao se tornar um investidor com qualificação, você tem acesso a mais opções de ativos, o que é uma das primeiras vantagens.

Isso acontece porque o investidor qualificado é visto como alguém que entende do mercado e domina melhor a relação de risco e retorno.

Além disso, alguns tipos de investimentos estão disponíveis apenas para quem tem qualificação.

Com isso, o investidor tem como vantagem a chance de diversificar ainda mais a carteira e consegue distribuir melhor os riscos entre vários ativos para diminuir possíveis perdas.

Onde investir dinheiro em 2021

Bitcoin, CDB, dólar, ações estrangeiras: descubra onde investir dinheiro para transformar a sua vida financeira. Saiba mais aqui!

Qual a diferença entre investidor profissional e investidor qualificado?

Pode parecer que esses dois termos são a mesma coisa, no entanto, isso não é bem verdade.

Isso porque, o termo investidor profissional se destina a quem tem, pelo menos, R$10 milhões investidos e pode comprovar isso.

Enquanto que, o investidor qualificado, como já vimos, precisa ter R$1 milhão em investimentos ou, então, uma das certificações aceitas pela CVM.

Desse modo, a principal diferença entre eles está no valor necessário para pertencer a uma categoria ou outra.

Ademais, todo investidor profissional pode, em certa medida, ser considerado também como qualificado. Afinal, já passou por esta etapa.

Para entender melhor as atribuições de cada um, recomendamos a leitura da Instrução CVM Nº 539, de que já falamos antes.

Quais os investimentos disponíveis para investidores qualificados?

Ao se tornar um investidor qualificado, você passa a ter acesso a aplicações diferenciadas. Geralmente, esses investimentos estão associados ao maior potencial de ganho e, ao mesmo tempo, possuem mais riscos.

Além disso, é importante lembrar que as aplicações diferenciadas são oferecidas para quem tem a qualificação porque entende-se que a pessoa sabe compreender e analisar melhor o mercado.

São exemplos de investimentos reservados para qualificados os descritos abaixo.

  • CRA: os Certificados de Recebíveis do Agronegócio estão disponíveis apenas para quem tem qualificação;
  • CRI: alguns dos Certificados de Recebíveis Imobiliários são exclusivos também;
  • Debêntures exclusivos;
  • Fundos de investimentos imobiliários e no exterior: alguns fundos só estão disponíveis para esse perfil de investidor.

Como se tornar um investidor qualificado

Ter o certificado é ideal para quem quer trabalhar na área. Fonte: Unsplash.
Ter o certificado é ideal para quem quer trabalhar na área. Fonte: Unsplash.

Para que você se torne um investidor qualificado, existem basicamente dois caminhos:

  • Ter R$1 milhão em investimentos e solicitar a declaração em sua corretora;
  • Passar em uma das provas de certificação da CVM. Essas provas são específicas e cada uma possui uma aptidão e regulação.

Além disso, é importante lembrar que você precisa ter conhecimento do mercado e que a qualificação não é ideal para todos investidores.

Afinal, vale a pena para quem for trabalhar com isso, seja no mercado financeiro, em corretoras, casas de investimentos ou até mesmo com marketing de influência. Para o investidor comum, essa certificação não tem nenhum propósito.

Por fim, se você não tem o objetivo de se tornar um investidor qualificado, mas quer investir em mercados de alto risco com bons retornos, aproveite para conferir o artigo recomendado abaixo. Nele explicamos o que é e como funciona o mercado futuro, um tipo de investimento em que você assume riscos em troca de ter mais rentabilidade.

mercado futuro

Mercado Futuro: o que é e como funciona?

O Mercado Futuro é um setor da bolsa de valores onde você investe com base no valor que espera para um ativo no futuro. Saiba aqui como funciona.

Sobre o autor  /  Fernanda Weber

Produtora de conteúdos digitais e redatora web com formação na área de Letras. Atua com produção de conteúdos sobre educação financeira e deseja levar seus conhecimentos práticos para mais pessoas e assim ajudá-las a lidar melhor com seu dinheiro.

Revisado por  /  Junior Aguiar

Editor(a) sênior

Em Alta

content

Conheça a conta à ordem CTT Júnior

No CTT, você faz uma conta à ordem para quem é menor de idade e não paga taxa de manutenção, trata-se da conta Júnior. Leia mais aqui.

Continue lendo
content

Cartão Superdigital Pré-Pago: o que é o cartão Superdigital Pré-Pago?

O cartão Superdigital Pré-Pago é ótimo para as compras do dia a dia. Quer saber mais sobre ele? Então, leia nosso post e confira!

Continue lendo
content

Como solicitar o cartão Bradesco Black Internacional

O cartão Bradesco Black Internacional tem um ótimo programa de fidelidade. Quer saber como solicitá-lo? Então, leia este post e saiba mais!

Continue lendo

Você também pode gostar

content

Conheça a conta à ordem OpenBank sem comissões

A conta à ordem do OpenBank sem comissões é a opção para quem quer menos burocracias e serviços sem taxas. Conheça este serviço aqui.

Continue lendo
content

Como solicitar o empréstimo consignado Banco Paraná

Quer saber como solicitar o empréstimo consignado Banco Paraná? Então, leia este post e confira o passo a passo deste processo.

Continue lendo
content

Millennium Crédito Pessoal TAEG 11% para 5.000€

Está precisando de dinheiro rápido? Com o Millennium Crédito Pessoal, você pode pedir até 15 mil euros para pagar em 84x. Veja aqui.

Continue lendo